À espera de João Miguel

Meses inteiros sem postagens e, de repente, vou ter um outro bebê!

Pois é…

Estamos aguardando a chegada de João Miguel, o irmãozinho mais novo do Guigui, e um dos motivos de ter aparecido pouco por aqui, no Instagram e na internet de um modo geral foi que essa gravidez foi bem mais “complicadinha” que a do Gui.

Antes dessa gestação eu tive um aborto espontâneo com suspeita de mola parcial (dá uma “googlada” se tiver muita curiosidade pra saber o que é). Confesso que eu senti muito mais pelo que meu corpo estava passando do que qualquer outra coisa. Não me culpei pelo que aconteceu, pois sei que todas as coisas estão debaixo da soberania de Deus, mas preferi não sair espalhando porque: 1. não era da conta de ninguém; 2. quem já passou por isso sabe que é um momento íntimo e que não é o tipo de coisa que a gente quer espalhar aos quatro ventos (você imagina alguém anunciando com alegria que perdeu um bebê? Mas todo mundo quer saber – só pode ser pra fofocar); 3. me senti super segura e bem cuidada pela equipe que estava me acompanhando, pelos familiares e amigos que eu escolhi contar para me ajudarem nesse momento (principalmente em oração), então sabia que era tudo questão de tempo até se resolver.

Depois desse episódio, engravidei exatos 3 ciclos após. Nem eu sei ainda direito como isso aconteceu (não literalmente, tá gente xD). Fiquei feliz, pois a diferença de idade entre o Gui e o Miguel não vai ser tão grande, mas ao mesmo tempo apreensiva. Era inevitável me preocupar se ia ter uma outra gestação tranquila como a do Gui ou se alguma coisa diferente ia acontecer. Acabou que tive sangramento e muitas cólicas até o 3° mês de gestação, precisei utilizar progesterona para minimizar o risco de um novo aborto, muita indigestão, desenvolvi hipotireoidismo gestacional, tive “n” infecções (urinária, sinusite), me senti indisposta mais da metade da gravidez, descobri que estava com brida amniótica, então não foi uma gravidez tão “curtida” como a primeira, mas, graças a Deus, João Miguel se desenvolveu bem e saudável, e isso que importa!

Já na reta final, cheia de coisas para finalizar para chegada dele (incrível como a gente relaxa depois do primeiro filho), ainda não tinha feito um registro do barrigão. Queria muito fazer o ensaio novamente com o Bruno (que foi o responsável por registrar meu casamento e o barrigão do Gui), mas infelizmente não deu =/

No fim das contas, eu simplesmente amei as fotos que tiramos para registrar o barrigão do João Miguel e não consigo imaginar uma outra forma que tenha sido mais a nossa cara. No ensaio de Gui eu sabia exatamente o que queria (uma paisagem de parque/floresta para me lembrar da minha cidade favorita), e nessa eu queria algo que remetesse o aconchego de estar em casa, com minha família.

E hoje trago uma amostra desses momentos para deixar registrado aqui no blog =)

Beijinhos e até a próxima!

Deixe uma resposta